publicidade
23/12/2019 08:10

Shell Fittipaldi superou problemas e garantiu dois pódios nas 500 Milhas Granja Viana


Foto: José Mário Dias

Com um ótimo desempenho dos dois karts, a equipe Shell Fittipaldi obteve duplo pódio nas 500 Milhas Granja Viana. O kart #1, de Felipe Baptista, Vitor Meira e Danilo Dirani, dominou boa parte das 12 horas de prova, mas perdeu minutos preciosos devido a um problema de suporte da coroa. Mesmo assim, o trio fechou em quarto, duas posições à frente do kart #2, de Dennis Dirani, Ruben Carrapatoso e Diego Ramos, que também teve perda de performance em parte da prova por falhas no motor.

Logo no começo, um acidente causou uma bandeira vermelha e a paralisação da prova. Na relargada, começou um show do kart #1, que escalou o pelotão vindo de 12º rumo à liderança já na volta 21, com Vitor Meira ao volante. Enquanto isso, o kart #2, com Dennis Dirani, era o nono. Com uma hora de prova, o kart #1 era o segundo, trocando vácuo com outra equipe, enquanto Dirani estava em décimo.

A corrida prosseguiu e, na 82ª volta, o kart #2 entrou nos boxes, e Carrapatoso entrou no lugar de Dennis. Já o kart #1 foi para os pits cinco voltas depois, e Danilo entrou na vaga de Meira. A equipe do kart #1 seguia na briga pela ponta, e o #2 era o 14º. Danilo e Carrapatoso seguiram na pista na hora seguinte, e o kart #1 mantinha o segundo lugar.

Na volta 173, o kart #1 foi de novo aos boxes na liderança, e Felipe Baptista entrou, enquanto o #2 seguiu na pista. Já Carrapatoso entregou o kart #2 em 12º para Diego Ramos. Depois da rodada de pit stops, o kart #1 confirmou a ponta com 3s5 de vantagem para a equipe #120. Com quatro horas de corrida, começou a chover, e os líderes ficaram na pista com pneus slicks.

Com 273 voltas e quase cinco horas de corrida, o #1 parou de novo nos boxes, e Vitor Meira reassumiu o kart. Diego Ramos era o terceiro com o #2 e uma volta de atraso, mas depois parou para dar lugar a Dennis.

Com 6h35, a Shell Fittipaldi fazia dobradinha com o #2 e o #1. Foi quando o kart #1 fez a primeira parada de 15 minutos, mas com um suporte da coroa quebrado - o time perdeu 3m30 a mais do que o necessário. O kart #2 também fez nova parada a seguir.

O kart #1 fez nova parada de seis minutos com oito horas de prova - o time colocou quatro pneus novos. Com o kart #2, Carrapatoso entrou nos boxes na liderança, na volta 469, para o primeiro pit de 15 minutos. Na parada, os quatro pneus e o motor foram trocados, e Diego Ramos voltou em sexto.

Na hora seguinte, Felipe Baptista era o quarto com o #1, uma posição à frente de Diego, com o #2. Na volta 501, o safety kart entrou na pista por falta de iluminação. Na relargada, 13 voltas depois, as posições dos karts da Shell Fittipaldi foram mantidas. Com dez horas, a equipe fazia dobradinha nas primeiras posições, mas ainda tinham uma parada de 15 minutos e outra de seis a cumprir.

Com 551 voltas, o #1 fez a última parada de seis, e Vitor entrou no lugar de Felipe, voltando em quarto. Onze voltas depois, Diego substituiu Dennis no #2 na última parada de seis minutos. A essa altura, a menos de duas horas para o fim, o kart #1 era o segundo, logo à frente do #2.

Na 580ª passagem, o kart #2 cumpriu a última parada de 15 minutos, com problemas de freio, e Carrapatoso voltou ao comando na vaga de Dennis - o time voltou em 15º. Faltando 45 minutos para o fim, o #1 liderava com Meira, mas ainda com um pit de 15 a cumprir, com Carrapatoso em 12º.

Após a última parada, o #1 voltou em sexto com Danilo Dirani, duas posições à frente de Carrapatoso. Com as últimas paradas de box, o kart #1 cruzou a linha de chegada na quinta posição, dois postos à frente da tripulação do kart #2, mas uma punição a um concorrente rendeu um posto aos dois karts.

Com as 500 Milhas, a Shell encerra mais uma temporada como a maior patrocinadora do automobilismo brasileiro, com envolvimento em categorias como Stock Car, Stock Light, Porsche Carrera Cup e Fórmula 4.

Fonte: Luís Ferrari

  • Não há comentários cadastrados até o momento!