publicidade
02/12/2021 09:55

Rotax Max Finals terá cinco brasileiros na disputa pelo título entre 11 e 18 de dezembro no Bahrein


Foto: Denise Drehmer

Parte da delegação brasileiro no Rotax Max Finals de 2019, na Itália


Entre os dias 11 e 18 de dezembro, no Kartódromo Internacional de Sakhir, no Bahrein, cinco brasileiros disputarão mais uma edição do Rotax Max Challenge Grand Finals, o Campeonato Mundial Rotax. No total, serão 360 pilotos representando 61 países e divididos em seis categorias, além 18 competidores que disputarão as provas com karts elétricos - o Project E20.

E, com o importante apoio de Antônio Florêncio, pai do piloto João Cunha, nas estatísticas e dados, trazemos aos nossos leitores algumas informações sobre esta edição do Rotax Max Finals.

Os 360 competidores foram conhecidos após disputarem eventos classificatórios em seus países ou continentes de origem. Tito Giaffone (Júnior), Pedro Sousa (Sênior), Leonardo Reis (DD2) e Fernando Guzzi e João Cunha (DD2 Masters) serão nossos representantes e se juntarão a outros 32 pilotos sul-americanos (11 colombianos, 9 argentinos, 7 chilenos, 2 uruguaios, 2 equatorianos e 1 paraguaio).

A divisão mostra a Europa com 207 competidores, Ásia (57), América do Norte (42), América do Sul (37), África (12), Oceania (4) e América Central (1). Ao mesmo tempo, as maiores delegações serão as da França (19 pilotos), Reino Unido (18), Estados Unidos (17), Holanda (16), Canadá (16) e Japão (15).

As categorias Micro Max e DD2 Masters terão 36 pilotos e todos irão à Final, enquanto a Mini Max, Júnior, Sênior Max e DD2 recebem 72 competidores, dos quais - após as classificatórias - apenas 36 disputam a prova decisiva.

A principal característica do Rotax Max Finals é o fato de que os pilotos não têm custo com chassis, motores e pneus, uma vez que estes itens são fornecidos pelos organizadores. Além disso, cada categoria é monomarca quanto aos chassis que utiliza. Desta forma, a Micro Max e DD2 competem com Birel Art, Mini Max e DD2 Masters com Praga e Júnior Max, Sênior Max e Project E20 (os karts elétricos) com Sodi. Os motores, obviamente, são todos Rotax, enquanto os pneus são da marca Mojo.

O primeiro brasileiro que disputou o Rotax Max Finals foi Thiago Parazinho, que competiu na Sênior em 2007, e o melhor resultado do Brasil na competição foi em 2015, quando Caio Collet - hoje na Fórmula 3 FIA - conquistou o 3º lugar na Júnior Max, em Portugal, no Kartódromo do Algarve.

Até a edição de 2019 - no ano passado, por conta da pandemia, o Rotax Max Finals não foi disputado - 53 pilotos brasileiros disputaram a competição, sendo Fernando Guzzi o piloto com mais participações. No Bahrein, o piloto paulista disputará seu 9º Rotax Max Finals.

No Brasil, as atividades e competições da Rotax são administradas pela Bora Karting, comandada por Binho Carcasci.

Fonte: Portal Kart Motor | Erno - com informações de Antônio Florêncio

  • Não há comentários cadastrados até o momento!