publicidade
13/09/2021 12:47

Roberto Faria permanece na disputa pelo top 3 da GB3 após a rodada de Oulton Park


Foto: Jakob Ebrey

Roberto Faria


Um fim de semana eletrizante no automobilismo e não foi só na Fórmula 1. Se na principal categoria do automobilismo mundial não tem brasileiros na disputa, um pouco mais cedo na GB3 – novo nome da Fórmula 3 Britânica – o único brasileiro na categoria estava disputando ponto a ponto o top 3 do campeonato. Apesar da etapa não ter saído como o planejado, neste fim de semana Roberto Faria (Fortec Motorsport) conquistou o 9ª pódio na temporada e fez a volta mais rápida.

“Essa etapa em Oulton Park foi uma daquelas que a gente não vai esquecer por muito tempo. Vivemos de tudo um pouco. Eu, os mecânicos e os engenheiros fizemos o melhor, mas automobilismo é também ter que lidar com fatores externos. Apesar de tudo o que aconteceu, nós vamos fazer o máximo para terminar a temporada entre os três melhores pilotos no campeonato. O tempo é curto, mas estamos preparados”, afirma Roberto.

Na primeira corrida a equipe escolheu competir com os dois conjuntos de pneus usados. Por isso, Roberto Faria ficou mais lento do que os demais. Ainda assim, conseguiu se manter na mesma posição do grid e a frente de Mansell, com quem está concorrendo diretamente pelo top 3.

Após a bandeirada, Luke Browning, seu companheiro de equipe, que havia cruzado a linha de chegada em P2, foi desclassificado e Roberto subiu para P3 - esta foi a nona vez em que Roberto ficou entre três primeiros colocados na temporada 2021.

Diferente dos demais pilotos, Faria foi para a segunda corrida com pneus novos na esquerda e usados na direita. Com isso, estava muito mais rápido do que os demais. Tanto que foi nesta corrida em que fez a volta mais rápida do fim de semana, com 1min31s303.

Enquanto o piloto brasileiro trabalhava para assegurar o terceiro lugar, ele também assistia logo a sua frente à disputa entre Zak O’Sullivan e Luke Browning. Foi uma briga desde a largada até a batida. No último terço da prova o líder do campeonato levou a pior, rodou e não terminou a prova. Durante alguns segundos - no máximo um minuto -, o cenário parecia perfeito: P2 e os concorrentes diretos bem atrás.

Roberto, que estava mais rápido do que todos, foi para cima do companheiro de equipe. No entanto, Browning estava com a suspensão traseira comprometida e, sem controle total do carro, não poupou o brasileiro na tentativa de assumir a liderança da corrida. Os dois colidiram e não terminaram a prova.

“Enquanto eu estiver na pista, eu vou brigar por melhores posições. Foi isso que eu fiz o tempo todo e não foi diferente quando estava em P2. O que houve foi que Browning, que estava sem ritmo por conta da batida, me fechou na ultrapassagem e deu no que deu. Era a minha chance de ficar em segundo lugar no campeonato. Foi uma frustração imensa”, confessa Roberto.

A última corrida da etapa parecia estar acontecendo em outro dia, parecia ser outra pista. A chuva estava bem forte e a visibilidade bem afetada. E para completar, com os danos que o carro sofreu na corrida 2, os mecânicos tiveram que correr contra o tempo para deixá-lo o melhor possível. As peças todas foram trocadas, os pneus foram para pista molhada, mas o setup foi de pista seca (porque não deu tempo de reconfigurar) e, com isso, todos sabiam que a briga seria ainda mais dura. Ainda assim, Roberto cruzou a linha de chegada em P10 - três posições à frente do grid.

Faltando apenas uma etapa para terminar a temporada, Roberto está em quarto lugar, com 316 pontos, 23 atrás do Mansell. Atrás do brasileiro, com apenas oito pontos, está Ushijima. A última etapa será nos dias 16 e 17 de outubro, em Donington Park. As provas do domingo são transmitidas ao vivo no Canal do piloto na Twitch TV.

Fonte: Danielle Lima

  • Não há comentários cadastrados até o momento!