publicidade
18/07/2020 10:43

Falecimento do preparador Fritz enluta o kartismo gaúcho e brasileiro neste sábado


Foto: Idalicio Umpierre | I R Criações

O preparador Fritz


Muito provavelmente por seu nome poucos o conhecem: Dailor Kolling de Oliveira. Mas quando se fala em Fritz, tudo muda. Afinal, podemos dizer – quase sem medo de errar – que até o início dos anos 2000 quase todos os pilotos da região de Porto Alegre deram suas primeiras voltas com ele. Com o Fritz.

E hoje ele nos deixou, depois de uma longa, dura e sofrida batalha contra o câncer.

Fritz, como todos o conheciam, iniciou sua carreira como preparador no final dos anos 70 e início dos anos 80 e quem chegasse no antigo Kartódromo de Tarumã era recepcionado por ele. Lá, em um kartismo muito diferente do atual, ele tinha seu “cantinho” e, para quem quisesse apenas conhecer o esporte, ele tinha alguns karts prontos.

E os alugava por voltas. Foi assim que eu, que nunca fui piloto, também dei as minhas primeiras voltas de kart, lá por 1979 / 1980. E foi assim que ele, sem que nem eu e nem o Fritz soubéssemos, também me influenciou nesta grande paixão que tenho pelo kart. E foi assim que vários ótimos nomes do kartismo gaúcho iniciaram, aí sim, uma carreira de piloto.

Fritz, que aos poucos foi fazendo uma carreira vitoriosa no kartismo gaúcho e brasileiro, também tornou-se uma referência para muitos preparadores. E para seus filhos, já que Ivan, Laco e Lú seguiram seus passos e tornaram-se igualmente preparadores de sucesso.

Arlindo Schunck Filho, um homem de forte e marcante atuação nas mais diversas áreas do kartismo e automobilismo no Rio Grande do Sul – e, por isso mesmo, dono de muitas histórias e memórias – nos conta um pouco sobre o Fritz.

“O Fritz foi um grande companheiro. Ele começou no automobilismo, era mecânico na oficina do Carmelo Carlomagno, onde estava meu Fiat 147 de competição. Convidei ele para ir aos sábados e domingos para alugar karts em Tarumã. Devemos ter sido os primeiros do Brasil a fazer isso”, relembra Arlindo. “Anos depois ele ficou com o negócio e, com certeza, foi fundamental na formação de centenas de pilotos, pois foi quem abriu as portas do Kartódromo de Tarumã e do kartismo para muita gente”, destaca.

“O trabalho dele valia muito mais do que ele cobrava. Cada dia com ele era um mês de experiência que o piloto, e até a família, obtinha. Fomos campeões juntos e competimos através de nossos pilotos. Sempre dentro da maior retidão. E o kartismo, que ele tanto amava, ganhou sempre”, finaliza.

Fritz morreu dormindo, por volta das duas horas da manhã deste sábado (18), na casa da filha e, em tempos de pandemia do coronavírus, já foi sepultado.

Fonte: Portal Kart Motor | Erno Drehmer

  • 18/07/2020 11:44 Victor gomes

    Merecida homenagem a quem muito fez pelo kartismo. Que deus o acilha com carinho e de conforto a sua familia.

  • 18/07/2020 12:22 José Scalco

    Fritz, excelente pessoa tanto pessoal como profissional, nós ajudou muito a desenvolver o kartismo em santa Rosa, meus sentimentos a família e que Deus o a console.

  • 18/07/2020 16:42 Paulo Volk

    RECebo com grande pesar a passagem do Fritz, foi meu preparador nós anos 80, e mais tarde do Mauro Volk meu filho. Vai com Fritz, meus sentimentos ao falmiliares.

  • 20/07/2020 13:44 luis Mendes

    Descanse em paz meu amigo, já sinto saudade, Um dia estaremos juntos no grid do céu.

  • 20/07/2020 23:25 by laco

    meu pai foi o cara
    que mais pessoas
    fez andar de kart
    no brasil obrigado pai por
    todos teus incinamentos
    descance em paz
    do seu filho querido
    laco.

  • 24/07/2020 20:38 marcio figueiredo machado

    MEUS SENTIMENTOS A FAMILIA,O FRITZ FOI QUEM ME AJUDOU MUITO NO MEU INICIO NO KART EM 1982.