publicidade
06/11/2019 17:10

Guilherme Peixoto completa primeira temporada na F4 Norte-Americana e mostra muita velocidade em Austin


Foto: Gavin Baker

Guilherme Peixoto


A sexta etapa da Fórmula 4 Norte-Americana marcou, no último fim de semana (2 e 3), o encerramento da temporada 2019 com um recorde de inscritos. Trinta e seis pilotos aceleraram nas provas, que fizeram parte da programação do GP dos Estados Unidos de Fórmula 1 no Circuito das Américas, em Austin, no Texas.

Entre os jovens talentosos pilotos da categoria, o brasileiro Guilherme Peixoto completou sua primeira temporada nos monopostos e esteve bem próximo do pódio. O piloto da equipe DEForce Racing acelerou forte desde o primeiro treino livre, participando da briga acirrada no pelotão da frente.

No classificatório para a corrida 1, Peixoto foi atrapalhado e registrou o nono tempo no grid de largada. Durante a prova, o piloto mostrou muita velocidade na pista e realizou boas ultrapassagens para chegar em quarto lugar na disputa. Na segunda corrida, o brasileiro partiu da sétima posição e tinha tudo para brigar pelo pódio. Logo alcançou o terceiro lugar, mas quando faltavam apenas duas voltas foi obrigado a abandonar, com problemas nos freios.

Com os resultados, o piloto encerrou a temporada na sexta colocação e foi o segundo melhor estreante. Nas 17 provas disputadas este ano, Gui terminou no top 10 em 14 ocasiões. Além disso, foi ao pódio duas vezes (dois terceiros lugares em Mid-Ohio) e também conquistou uma pole position.

Foi uma temporada de muito aprendizado e evolução. Não conhecia nenhuma das pistas e fomos crescendo ao longo da competição. Agradeço muito a toda a equipe DEForce Racing e a todos que me apoiaram neste primeiro ano nos monopostos”, comentou o brasileiro de apenas 16 anos.

Em Austin, estivemos sempre velozes. Desde o primeiro treino livre já deu para perceber que teríamos condições de lutar pelas primeiras colocações. No classificatório também estávamos rápidos, mas foi pouco tempo de treino, muitos carros na pista ao mesmo tempo e isso dificultou encaixar uma volta melhor. Acabei atrapalhado e terminei em nono no grid”, contou.

Na corrida, conseguimos ganhar algumas posições e foi muito bom chegar em quarto lugar”, lembrou. “Para a corrida 2, larguei em sétimo e acredito que tínhamos boas chances de brigar pela vitória. Mas, infelizmente, quando já estava em terceiro, enfrentei um problema nos freios e fui obrigado a abandonar”, lamentou.

Apesar de ter ficado fora do pódio, o piloto deixou a pista satisfeito e também feliz com a chance de correr poucas horas antes de Lewis Hamilton conquistar seu sexto título na Fórmula 1. “Sem dúvida o resultado poderia ter sido muito melhor, mas consegui mostrar velocidade o tempo todo na pista. Além disso, foi muito legal correr no mesmo evento que a Fórmula 1. Encontramos alguns pilotos, e poder sentir um pouco de todo esse ambiente é algo realmente interessante. Também gostei muito da pista de Austin e toda a estrutura do autódromo. Foi um ótimo lugar para encerrarmos a temporada”, finalizou.

Confira a classificação final da F4 Norte-americana (top 10):
1. Joshua Car (AUS) 299 pontos
2. Kiko Porto (BRA) 220
3. Cristian Brooks (EUA) 209
4. Jose Blanco (PRI) 158
5. Arthur Leist (BRA) 154
6. Guilherme Peixoto (BRA) 107
7. Dylan Tavella (EUA) 73
8. Teddy Wilson (ING) 69
9. Nicky Hays (EUA) 57
10. Christian Bogle (EUA) 54

Fonte: FGcom

  • Não há comentários cadastrados até o momento!