publicidade
25/06/2018 13:31

"O mundo do kart não será mais o mesmo", dizem os pilotos após a estreia do motor X30 Codasur


Foto: Bruno Gorski

Recém-chegados ao Brasil, os motores Iame X30 Codasur tiveram neste final de semana seu primeiro teste real no kartismo nacional. Participando do Open do Campeonato Brasileiro, realizado no Kartódromo Granja Viana, em Cotia (SP), os novos propulsores agradaram em cheio e mostraram que chegaram para oferecer um novo cenário ao esporte.

Os Iame X30 Codasur foram utilizados por mais de 25 competidores na Codasur Júnior e Codasur, categorias que pela primeira vez farão parte do Campeonato Brasileiro, que no dia 9 de julho dará início à sua 53ª edição, também no Kartódromo Granja Viana.

O sistema de disputas previa a realização da tomada de tempos, duas classificatórias e a Final. Desta forma, Nicolas Fabris venceu a final da Codasur Júnior e garantiu o título da categoria, mesma conquista de Felipe Baptista na Codasur.

Sensivelmente mais rápido que os motores atuais, de 125cc, o X30 Codasur entrega 175cc de potência e já em seu primeiro teste marcou tempos muito próximos da Shifter – cerca de 2,5 décimos de segundo a menos –, a categoria mais rápida do kartismo brasileiro.

Duas vezes campeão brasileiro, o experiente Rodrigo Piquet foi um dos pilotos que competiu na Codasur, terminando o Open em 5º. “O mundo do kart não será mais o mesmo depois da chegada deste motor”, avaliou. “Tem muito torque, mesmo com a limitação que foi feita na coroa e pinhão. Me parece que será um motor muito durável, ele tem peças reforçadas e vibra menos. É preciso se adaptar a ele, com cuidado, porque se acelerar muito o kart destraciona, tamanha a potência que ele oferece. Achei sensacional a experiência de competir com ele”, completou.

O jovem Felipe Baptista, campeão brasileiro em 2017, foi o vencedor do Open na categoria Codasur. E teve a mesma impressão externada por Rodrigo Piquet. “É um motor bem mais forte, com 50cc a mais do que estamos acostumados. Então precisa de uma certa adaptação. Muito rápido e confiável, tem uma potência absurda e se não tivesse o limitador provavelmente ‘viraria’ mais rápido que a Shifter. Foi um final de semana de aprendizado, gostei muito, estou ansioso por correr o Brasileiro e tentar repetir a vitória”, declarou Felipe Baptista.

Fonte: KG COM Assessoria de Comunicação

  • Não há comentários cadastrados até o momento!