publicidade
15/10/2020 16:32

Problemas no kart atrapalharam desempenho de Diogo Moscato na sétima etapa do Light


Foto: Planet Kart Images | Cris Reis

Diogo Moscato


Não foi o resultado dos sonhos do piloto baiano Diogo Moscato (Transportadora Moscato/ Euro Grãos Transportes/ Jonas Kart), mas o quarto posto no pódio da etapa mostrou a rapidez e grande capacidade técnica do team Jonas Kart na hora de dar solução aos imprevistos, bem como a capacidade do kartista soteropolitano em reagir e superar as adversidades que aconteceram na 7ª etapa da Copa São Paulo Light, que aconteceu no sábado (10) no Kartódromo Ayrton Senna, em Interlagos, na Zona Sul de São Paulo.

Os treinos livres oficiais aconteceram na quinta e sexta-feira, ainda com o clima instável e muita alternância de piso seco com piso molhado. Claro, um fator “complicador” para os engenheiros e membros das equipes na hora de definir o “set-up” ideal dos micromonopostos.

Diogo Moscato foi o mais rápido do TL1, com piso seco, e P2 no TL3, trabalhando com um jogo de pneus “biscoito” velhos, na pista molhada de Interlagos.

Com isso, a expectativa era de um bom posicionamento no grid de largada da categoria Sprinter na primeira bateria da rodada dupla. O sábado amanheceu ensolarado, com tempo firme e, claro, um forte calor, para dificultar ainda mais o trabalho de ajustes nos bólidos das equipes para a tomada de tempos classificatórios, marcado para acontecer com o sol a pino, às 13h00.

Karts alinhados na saída do Parque Fechado e na hora de ligar o motor, surpresa! Quebrou o cabo do acelerador – peça “zero quilometro”, com defeito de fabricação -. O “probleminha” é que a prática conta com apenas cinco minutos de duração, mas os “guys” da Jonas Kart parecem a equipe de troca de pneus da Red Bull na F1. Com a inestimável ajuda de mecânicos de outras equipes, a troca do componente quebrado levou dois minutos, permitindo que Moscato ingressasse no circuito com, ainda, três minutos de treino, para aquecer os pneus e fazer ao menos uma flying lap. Foram quatro voltas cronometradas e o jovem kartista soteropolitano cravou 45.006 em sua melhor passagem, o que valeu a P3 do grid, a apenas três décimos de segundo da marca que garantiu a pole position para Bruno Souza.

Largando da fila externa na primeira bateria, Diogo não conseguiu “encaixar” na linha ideal e, fazendo o contorno na curva Esplanada por fora, acabou caindo para a quinta posição. Na terceira volta tentou ultrapassar o P4, mas acabou errando na manobra e perdeu mais uma posição. O ritmo da prova era intenso, com o pelotão cimeiro mantendo um train de corrida muito próximo, em uma longa fila. Moscato conseguiu fazer a aproximação do P5, para, na 9ª volta assumir o quinto posto de corrida, na qual recebeu a bandeira a quadros. Após as vistorias técnicas, obrigatórias no Parque Fechado ao término de cada corrida, o kartista representante da equipe Transportadora Moscato/ Euro Grãos Transportes/ Jonas Kart acabou subindo para a P4, em razão da punição ao terceiro colocado na prova.

A segunda bateria tem a ordem de largada obedecendo o posicionamento de chegada da corrida inicial, todavia, com o top five invertendo as posições no novo grid, ou seja, o vencedor larga na P5, o segundo, na P4 e assim por diante, com o quinto colocado ficando com a pole position da corrida dois. Por esse critério, Diogo Moscato alinhou na segunda colocação do grid, novamente pela “indigesta” fila externa.

Green light e com o P3 colado no para-choques do pole position, Diogo não conseguiu entrar na linha de traçado ideal, perdendo tempo e, novamente, duas posições nas voltas iniciais da prova. Na P4 impôs bom ritmo ao #54 TonyKart com as cores da Bahia e passou a acossar o terceiro colocado. Foi um belíssimo combate até a 15ª passagem, quando outra vez o Senhor Imponderável da Silva entrou na pista. Sem ser tocado por outro kart, ou atingir zebras mais altas, ou algum outro obstáculo, um dos parafusos que prende o para-choques traseiro se partiu, fazendo com que o componente obrigatório de segurança passasse a raspar pela pista.

Ante o risco de a peça desprender-se e dar causa a algum eventual acidente, a Direção de Prova determinou a apresentação de bandeira obrigando o kart #54 parar na área reservada aos reparos, para consertar o para-choques. Mais uma vez a equipe Jonas Kart esbanjou competência e velocidade, com Diogo parando o kart e tendo o para-choques preso novamente em segundos, pelos “covers” do The Flash.

Diogo Moscato retornou para a corrida, agora ocupando a P8, mas ainda na mesma volta do líder. Com o pé literalmente na tábua, Moscato conseguiu recuperar duas posições em apenas duas voltas, para receber a checkered flag na quinta colocação de pista. Instantes depois, já no Parque Fechado, Moscato foi informado que subira para a P5 final, em razão da desclassificação de terceiro colocado, por atitude antidesportiva.

'Mesmo com essas intercorrências que tivemos, o resultado geral foi muito bom, pois acabamos em P4 n geral e agora iremos focar na última etapa que será rodada tripla, onde nosso objetivo é ficar entre os quatro primeiros no campeonato', explicou o experiente ex-piloto André Secco, Coach de Moscato.

A próxima etapa será a de encerramento da temporada 2020 da Copa São Paulo Light, mais uma vez em Interlagos. Mas essa será uma verdadeira maratona de corridas, que será disputada em regime de rodada tripla, ou seja, cada categoria disputará três corridas para definir seus campeões.

Tudo pode acontecer na categoria Sprinter, já que, em se considerando os descartes obrigatórios de cada turno pelo regulamento, os 2º, 3º e 4º colocados na tabela de pontos do campeonato, estão separados por apenas quatro pontos válidos.

Enzo Guimarães já tem uma das mãos na taça de campeão da temporada, com onze pontos de vantagem para o vice-líder do certame. Diogo Moscato (Transportadora Moscato/ Euro Grãos Transportes/ Jonas Kart) é o quarto colocado na tábua de pontos e tem amplas possibilidades de terminar a temporada como vice-campeão.

Fonte: Planet Kart Marketing Esportivo

  • Não há comentários cadastrados até o momento!