publicidade
09/04/2019 08:49

Academia Shell teve 11 pilotos na pista e foi destaque nos carros e no kart no fim de semana


Foto: Bruno Gorski

Gabriel Crepaldi


A Academia Shell Racing teve 11 de seus 14 representantes em ação neste fim de semana nos carros e nos karts. Além dos quatro pilotos da Stock Car no Velopark, a Shell teve mais quatro andando na Copa São Paulo Light, além de seus dois competidores regulares na Stock Light, e de Vitor Baptista, piloto da academia na Porsche Cup autorizado a correr pela SG Racing e que venceu a segunda prova no circuito gaúcho.

No tumultuado domingo da Stock Light no Velopark, o campeão Raphael Reis, no dia de seu aniversário, brilhou na segunda prova e terminou em quarto após largar do fim do pelotão e fazer 18 ultrapassagens, enquanto Diego Ramos, que disputa sua primeira temporada completa, foi o oitavo e já emplacou um top 10 - na primeira corrida, que foi adiada após a forte chuva no sábado, os dois não terminaram.

A Academia Shell Racing teve quatro representantes na disputa da 3ª etapa do Light, no Kartódromo Aldeia da Serra, em Barueri (SP). Lucas Staico e Aurélia Nobels tiveram quebras no kart, enquanto Gabriel Crepaldi e Richard Annunziata foram atrapalhados pela forte chuva no kartódromo.

Competindo na Júnior, Lucas Staico largou na quinta posição e caiu para sexto na segunda volta. No giro seguinte, recuperou a posição e manteve até a volta seis, quando caiu para o sétimo lugar. Na metade final da prova, Staico conseguiu encontrar um bom ritmo e foi escalando o pelotão até terminar a prova em uma ótima segunda posição.

Na disputa seguinte, o piloto mineiro partiu da quarta posição e fechou a volta no sexto lugar. Na oitava passagem, Lucas caiu para o sexto posto e iniciou uma boa recuperação na prova. Porém, cinco giros mais tarde, uma quebra no kart do piloto de 14 anos o fez abandonar a corrida quando era o quarto colocado.

Pela categoria Graduados, Gabriel Crepaldi obteve bom desempenho na bateria inicial. Após largar em sexto lugar e cair para nono no início da corrida, o piloto paulista fez uma corrida de recuperação e terminou a prova em uma boa quarta posição, garantindo o segundo lugar no grid de largada da corrida seguinte, como prevê o regulamento. Vale lembrar que as cinco primeiras posições da corrida 1 são invertidas para a formação do grid da segunda prova.

Richard Annunziata, assim como seu companheiro de Academia Shell, também fez uma corrida de recuperação pela Graduados. Após largar em sétimo e pular para o quarto lugar, o piloto de 17 anos caiu para o 10º posto na quarta volta. Mostrando paciência e inteligência para evitar confusões, Richard fechou a prova no quinto lugar, garantindo a primeira posição no grid da corrida dois.

A forte chuva no kartódromo trouxe muitas dificuldades tanto para Gabriel Crepaldi quanto para Richard Annunziata na segunda bateria. Mesmo partindo da primeira fila, os pilotos da Academia Shell não encontraram um bom ritmo de corrida e terminaram a prova na sexta e nona colocação, respectivamente.

Já Aurélia Nobels novamente teve que mostrar personalidade para superar problemas. A borboleta do carburador do seu kart quebrou durante o treino oficial, que define as posições de largada para a corrida 1. Isso impediu a piloto de 12 anos de completar uma volta rápida. Partindo do último lugar e com o kart sem as melhores condições, ela terminou a prova na 15ª posição na Júnior Menor.

Na corrida 2, a piloto do kart #107 fez boa largada, saindo da 15ª para a 12ª posição. Cinco giros mais tarde ela assumia o 11º primeiro posto. Mostrando boa habilidade, a primeira mulher da Academia Shell defendeu bem a posição e fechou a corrida no 11º lugar.

A quarta etapa acontece no dia 4 de maio, no Kartódromo de Interlagos.

“Larguei em quinto e permaneci nessa posição durante boa parte da primeira bateria. No final, meus adversários bateram e acabei chegando em segundo lugar. Com a inversão das posições, larguei em quarto na segunda corrida, mas meu kart não estava tão bom. No fim da bateria, acabou quebrando o eixo e abandonei. Não foi um bom fim de semana, não consegui alcançar as minhas expectativas e perdi a liderança do campeonato”, lamentou Lucas Staico.

“Na tomada de tempo nós testamos um acerto que acabou não dando certo e acabamos largando em sexto. Mudamos o acerto na corrida e fomos bem rápidos. Terminei em quarto pois um adversário me segurou por muitas voltas, mesmo com o carburador quebrado. Isso me fez perder muito tempo. Meu pneu estava muito bom para a segunda corrida, mas a forte chuva acabou atrapalhando. Saímos com um pneu ruim de chuva e isso atrapalhou bastante. Além disso, meu motor travou e me fez perder rendimento na corrida. Mesmo assim, terminei em quarto. Dava pra ter ido melhor, foi uma pena ter chovido e acontecer esses problemas. Estávamos bem competitivos, é isso aí. Vamos para a próxima”, contou Gabriel Crepaldi.

“Fiz uma boa corrida de recuperação na primeira bateria, larguei em sétimo e cheguei em quinto, depois de perder algumas posições no começo da prova. A chuva atrapalhou bastante a segunda prova. Nossos pneus não estavam tão bons como os dos nossos adversários. Tenho certeza que tudo será diferente na próxima etapa. Vamos com tudo”, aposta Richard Annunziata.

“A borboleta do carburador do meu kart quebrou na tomada de tempo e eu não pude continuar, por isso larguei do último lugar na primeira corrida. Além disso meu motor falhou na largada e fiquei longe do pelotão. Consegui encostar neles, mas terminei em 15º, posição que larguei na segunda corrida. Não foi fácil ultrapassar os outros pilotos, mas eu dei meu máximo e consegui chegar em 11º lugar. O mais importante foi ter conseguido terminar as duas provas”, analisa Aurélia Nobels.

Fonte: Luís Ferrari

  • Não há comentários cadastrados até o momento!