publicidade
14/10/2019 12:29

Equipe de kart APA e Água da Serra invadiram recreio de escola e animaram a semana da criança em Penha


Foto: Divulgação

Mais de 180 crianças da Escola Municipal Rubens João de Souza, da cidade de Penha (SC), tiveram um dia diferente em suas vidas. De surpresa, Gustavo Frigotto, piloto e atual vice-líder da Stock Car Light, e Thiago Fuck, piloto principal do time APA + Água da Serra na Copa do Brasil, visitaram a instituição de ensino e fizeram a festa dos pequenos na semana da criança.

Todos os alunos presentes na escola se reuniram no pátio para verem os pilotos e o kart número 7 inscrito na competição, realizada na cidade durante toda essa semana. 'Foi uma bagunça muito divertida de ver. Isso expande os horizontes das crianças, pois é algo que quebra a rotina dos alunos e mostra a eles um novo mundo. Ver a empolgação deles é algo que alegra e potencializa muito o nosso trabalho', afirma Sandra Maria Pereira, diretora da escola.

Na oportunidade, os estudantes puderam ver de perto algumas manobras com kart oficial de competição, conversaram com os pilotos e experimentaram a sensação de ser um piloto ao se acomodarem como tal dentro do kart de corrida. 'Ações como essas são tão simples, mas tem um efeito muito grande dentro e fora do esporte. Como piloto, isso renova minha energia, pois ter e angariar novos fãs faz parte de toda a fantasia de ser um piloto. Como educador é mais gratificante ainda, pois todos nós sabemos que a educação é essencial na construção do ser, sendo o esporte uma das mais eficientes ferramentas de transformação social baseada nesta construção', afirma Gustavo Frigotto, que além de piloto profissional na mais prestigiada categoria do esporte a motor do país, também é professor e historiador formado em Curitiba.

Para Thiago Fuck, a emoção de estar na escola como piloto é multiplicada por mil, pois há pouco tempo ele decidiu dar o maior e mais corajoso passo de sua vida esportiva. 'Não gosto de chamar o que eu tenho de 'carreira' no automobilismo, pois não ganho para correr. Sou engenheiro, um eterno aprendiz, e até tempos atrás eu era como eles. Imaginava que tudo isso era distante e impossível, e hoje estou aqui, realizando o sonho de ser um piloto andando de igual para igual com os maiores e mais promissores nomes do automobilismo do país', afirma.

Nesta troca de experiências com as crianças mais curiosas sobre a sua história como piloto, Thiago ressaltou a importância da perseverança na caminhada rumo a realização dos objetivos. 'Todos pensam que automobilismo é restrito para quem tem dinheiro, e eu sou a prova viva do contrário disso. Comprei meu primeiro kart com o dinheiro do meu primeiro estágio, entrei no kartismo numa pista que só reunia apaixonados pelo esporte e logo fui rodeado por bons amigos. Há três anos atrás, esses mesmos amigos decidiram criar um campeonato que desafiasse nosso espírito competitivo e preservasse o nosso clima de amizade, além do bolso, claro. E assim nasceu a APA. Começamos com 6 pilotos e hoje colocamos mais de 30 em todas as corridas, angariando novos amigos por onde a gente passa. O automobilismo depende sim de dinheiro, entretanto, existem coisas essenciais que o dinheiro não compra, e essa oportunidade de estar aqui com as crianças e de ver que somos semelhantes é uma delas', diz.

Para o piloto, o retorno a escola tem um toque muito especial, pois há exatos um ano, a APA mudou sua filosofia de evento e partiu para a expansão deste clima de amizade. 'Quando criamos a APA, montamos com o desejo de reunir outros solitários com o mesmo tipo de histórico. Ano passado decidimos expandir esse desejo, principalmente com aqueles que não conhecem o esporte e pensam que o automobilismo é impossível. A diretora Sandra junto com a Suseli Batista (Secretária de Educação de Penha) foram as primeiras a comprar a ideia e levamos a escola inteira para a nossa corrida aqui no ano passado. Foi um sucesso e desde lá eles fazem parte da nossa história', completa.

A APA é uma associação de pilotos amadores de kart que, sem fins lucrativos, decidiu se unir para correr e exercitar suas paixões. O que começou com uma ideia de dois amigos, Diego Pardo e Thiago Fuck, hoje se tornou uma das categorias mais procuradas pelos pilotos, pelo fato dela proporcionar um bom ambiente de encontro e amizade, prezando principalmente pelo baixo custo. Em três anos de campeonato, a APA registra uma média de 35 pilotos no grid em todas as corridas, e hoje parte para a expansão, tanto de filiados quanto de fãs.

Fonte: Pedro Giulliano

  • Não há comentários cadastrados até o momento!