publicidade

Eric Bouiller e Zak Brown podem perder lugar para Martin Withmarsh

Escrito por Wagner Gonzalez
Jornalista especializado em automobilismo de competição

A possibilidade de a McLaren sofrer nova reviravolta interna ganhou corpo ontem (18) quando o nome de Martin Withmarsh começou a circular como possível substituto de Eric Bouiller e Zak Brown. De acordo com o site grandprix.com, o inglês, que gerenciou a operação de Fórmula 1 na marca por cerca de 25 anos, teria sido procurado por um grupo de engenheiros da McLaren para voltar à equipe e trabalhar para recolocá-la entre as grandes. Withmarsh, que antes da McLaren foi executivo da British Aerospace, admitiu que a aproximação aconteceu e que o assunto progrediu:

"Algumas pessoas sugeriram me enviar uma carta pedindo que eu voltasse. Eu respondi que o destinatário dessa carta deveria ser Mansur Ojjeh (executivo maior do grupo McLaren), a quem já expliquei minha visão sobre a situação, onde vejo que alguns nomes devem partir. Agora cabe a ele e aos acionistas decidirem o que fazer".

Não é necessário ler nas entrelinhas que a gestão de Eric Bouiller à frente do time e a política de Zak Brown em levar a McLaren para disputar outras categorias (como a Fórmula Indy e a Endurance) em paralelo estão diluindo a capacidade do time, até então focado exclusivamente na F1. Bouiller é considerado um homem com temperamento difícil e a recente demissão de Tim Goss teria sido a gota d’água para a rebelião interna. Zak Brown, por seu lado, tem uma filosofia de trabalho praticamente avessa à escola de Ron Dennis, que ficou famoso pela maneira contida com que se relacionava com a imprensa e pelo seu linguajar empolado, o famoso "Ron Speak" (Discurso do Ron). Há anos a equipe não vence uma prova, não vê um piloto no pódio e está sem um patrocinador principal, algo ainda hoje inconcebível para uma das maiores vencedoras da história da F1.

No próximo fim de semana, quando o circuito de Paul Ricard e o GP da França retornam ao calendário da categoria, a decisão da Red Bull interromper 12 anos de aliança com a Renault será outro assunto bastante comentado. Com essa mudança, a maior beneficiada será exatamente a McLaren, que se tornaria o principal cliente da Renault no ano que vem.

Le Mans: Toyota ganhou, Negrão herdou – A corrida dura 24 horas, mas a preparação se arrasta por cerca de um ano e o resultado da pista nem sempre resiste ao dia seguinte. Na edição 2018 das 24 Horas de Le Mans, a equipe G-Drive Racing foi desclassificada da vitória na classe LMP2. Com isso o brasileiro Guto Negrão foi declarado vencedor, já que ele e seus companheiros Nicolas Lapierre e Pierre Thiriet terminaram em segundo na classe.
Se para a Toyota e, particularmente Fernando Alonso, foi o primeiro triunfo na clássica prova francesa, para o Brasil foi a segunda vitória: no ano passado Daniel Serra venceu na classe LMGTE Pro, com Aston Martin Vantage GTE.

A conquista veio após a verificação técnica realizada ontem e que apontou alterações no sistema de reabastecimento no Oreca-Gibson do trio Roman Rusinov / Andrea Pizzitola / Jean-Eric Vergne. A equipe russa já anunciou que vai recorrer da desclassificação dentro do prazo regulamentar definido pelo Automobile Club de l’Ouest para apresentar seu apelo. Dessa forma o resultado da prova mantém o caráter provisório até a próxima quinta-feira.

Se a Toyota dominou a competição sem sustos ou imprevistos, a vitória da Porsche nas classes LMGT Pro (Michel Christensen / Kevin Estre / Laurens Vanthoor) e AM (Matt Campbel / Christian Ried / Julien Andlauer) foi das mais disputadas. Na classe Pro chegou a surpreender o ritmo da prova: ainda na primeira meia hora de prova um Ford GT, uma Ferrari, dois Porsches, um Corvette, um BMW M8 e um Aston Martin disputavam roda a roda como se não houvesse uma curva até a bandeirada de chegada. Sem dúvida, uma amostra do que deve e pode ser a receita para colocar o Mundial de Endurance no seu devido lugar.

Enzo Fittipaldi dominou a Fórmula 4 em Misano – Depois de um fim de semana pouco produtivo e marcado por acidentes na etapa de Monza, Enzo Fittipaldi recuperou-se com categoria e simplesmente dominou a quarta rodada do Campeonato Italiano de F4. Enzo iniciou o fim de semana em terceiro lugar e 103 pontos no torneio, atrás de Leonardo Lorandi (143) e Olli Caldwell (120), mas com três vitórias nas provas disputadas no fim de semana em Misano, deixou a pista situada à beira do mar Adriático como novo líder, um ponto à frente de Lorandi (177). Ainda restam três rodadas para definir o título, a próxima delas dia 29 de julho, em Imola.

Leia mais colunas do autor