publicidade
06/09/2019 10:05

A análise de dados e o kart

Escrito por Thomás Becker
Thomás Becker é ex-piloto e atleta profissional, que atua como analista de dados pela T.I. Performance em diversas categorias. É também coach de pilotos e professor de análise de dados.

Desde o surgimento do kart, novas tecnologias foram sendo introduzidas no esporte, sempre com o objetivo de melhorar a performance do equipamento e dos pilotos. Seja esta melhora para performance ou segurança, novas tecnologias sempre foram responsáveis pela evolução do esporte. Sendo assim, era inevitável que a evolução na coleta dados chegasse também ao kart, possibilitado assim maiores e melhores análises do desempenho de componentes do kart e dos pilotos.

Hoje é muito comum ver karts com painéis de diferentes fabricantes presos à direção. Estes painéis não servem somente para mostrar para o piloto o tempo de cada volta, mas, quando o kart para, é possível enviar estes dados para o computador para que uma análise detalhada dos seja feita. Muitos chamam esta análise de dados de telemetria.

Telemetria no automobilismo na verdade se refere ao envio de dados do carro em tempo real para os engenheiros nos boxes, que avaliam seu desempenho enquanto este ainda está na pista. Este envio de dados em tempo real é proibido em praticamente todas as categorias no Brasil, do kart à Stock Car. Aqui só é permitida a coleta de dados, ou seja, gravar os dados enquanto o carro está na pista para análise posterior.

Num esporte onde as disputas são por milésimos de segundo, a coleta e análise de dados se apresenta como uma ótima ferramenta para auxiliar pilotos e equipes na evolução dos equipamentos e da pilotagem. É possível comparar ajustes e diferentes componentes, descartando erros ou diferenças na maneira de pilotar o kart, por exemplo. Podemos ver o traçado do piloto dentro da pista. E comparar pontos de frenagem e reaceleração, possibilitando que as variações de pilotagem sejam comparadas para identificar qual delas é a mais rápida dentro de um circuito, por exemplo.

Trabalhar com a análise de dados ajuda a equipe a economizar dinheiro, uma vez que é necessário menos tempo para chegar ao ajuste ideal, reduzindo gastos de equipamento, tempo de pista, pneus, combustível e locação de componentes, como carburadores e motores.

Esta tecnologia no começo era restrita a equipes com maior poder aquisitivo, mas a popularização da análise de dados vem trazendo novos fabricantes de painéis para coleta de dados, cursos de análise de dados e analistas profissionais cada vez mais competentes. E isto está possibilitando que mais pessoas tenham acesso ao serviço. No Campeonato Brasileiro deste ano era comum ver profissionais com seus computadores andando de um lado para o outro. É seguro dizer que 80% dos campeões de 2019 fizeram uso da análise de dados no decorrer da competição.

Nas próximas publicações desta coluna falaremos sobre as ferramentas que estão disponíveis no mercado brasileiro, tipos de sensores utilizados, depoimentos de pilotos e engenheiros que fazem o uso destas ferramentas no dia a dia das corridas. Então fiquei ligado no Kart Motor para não ficar de fora das novidades na área. Se tiver alguma dúvida a respeito, envie um e-mail para a redação do site (contato@kartmotor.com.br) que iremos lhe retornar para tentar ajuda-lo.

Leia mais colunas do autor